Uma data dedicada à reflexão


Zumbi dos Palmares, o negro que lutou por seus irmãos em uma outra época contra as injustiças humanas é o homenageado no Dia da Consciência Negra. Na aldeia do Quilombo de Palmares, foi prisioneiro ainda recém nascido, educado pelo Padre Antônio Melo da freguesia de Porto Calvo, batizado com o nome de Francisco, foi coroinha, estudou latim e português. Corajoso e com grande capacidade de organização e comando, tornou-se um mito entre os negros.

Lutava não pela sua liberdade e sim pela liberdade de todos os negros e índios que viviam em Palmares.

E nesse dia não se comemora também a consciência indígena?

Ser diferente não é ser inferior, reza a cartilha. O grande preconceito, não de nossa sociedade, mas do mundo todo, é o preconceito contra a pobreza.

O pobre é tratado diferente em qualquer sociedade. Devemos então contribuir para que as diferenças sociais sejam diminuídas. Não vamos negar a cordialidade construída pelo mito da democracia racial, já que o conflito étnico ainda não foi resolvido.

O modelo de negro bem-sucedido ainda mantém vínculos com o integracionismo. Percebe-se claramente que as discussões sobre as questões raciais ainda estão restritas a militantes ou à intelectualidade.

O país aproveitou mais um dia de feriado, mais um dia de um maldito feriado, para endossar a imagem daquele brasileiro visto como vagabundo e indolente que não gosta de trabalhar*. Ainda bem que nem todos brasileiros se enquadram nesse perfil.


Se a consciência racial sugere uma mudança de atitude, que ela seja baseada em informação e articulação de mentes que possam transformar a sociedade com valores de igualdade, justiça e paz.

É olhar para o espelho e ter orgulho da si, independente se sua pele é branca, negra ou parda.


Eu fui e foi maravilhoso!!

*Com a reforma trabalhista, a tendência é que os feriados não santos passem a ser computados nos Sábados, já que agora feriados prolongados deverão ser negociados.

32 comentários :

  1. Preconceito existe, mas cabe a nós acabar com isso. Toda pessoa merece o respeito e oportunidades.
    big beijos

    ResponderExcluir
  2. Belo post, Luma! Particularmente, sou contra esse tipo de datas e atitudes (tipo Dia da Consciência Negra, Parada do Orgulho Gay, cotas raciais, etc.), porque acho que, no fundo sacramentam a discriminação. Até entendo a ideia, mas acho que é bem mais lógico reconhecermos que diferenças existem... e fazem parte do nosso mundo. O que faz a pessoa não é a cor, nem a orientação sexual, mas a forma de pensar e agir. Excelente post, como sempre; boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem o lado de reforçar o preconceito, assim como tem pessoas oportunistas que usam a data politicamente. Você viu o pensamento de Morgan Freeman postado pela Gloria Maria em seu instagram? Vou colar aqui:

      “O dia em que pararmos de nos preocupar com Consciência Negra, Amarela, ou Branca e nos preocuparmos com Consciência Humana, o racismo desaparece”

      Excluir
  3. Excelente texto Luma. Merece é deve ser compartilhado.Parabens! Bj

    ResponderExcluir
  4. Oi Luma, a dívida pela escravidão é muito grande, está espalhada pelos cantos do país. Ainda há muito que se refletir e agir para que a consciência humana seja suficiente para o jogo ser de igual para igual. Toda sociedade sofre com a desigualdade social mesmo que muitos não acreditem em História, que é fácil nascer pobre, negro, pardo, sem ferramentas e mudar seu "destino" está em suas mãos.
    Adorei o post, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O passado nos condena! Além do que escreveu, ainda temos a dívida mercantil com a África - O território até hoje explorado pelos brancos colonialistas. Parte dos países do mundo e o Brasil tem uma enorme dívida com os negros, pois sacrificaram gerações com trabalho escravo para garantir, absurdamente, uma vida de luxo aos homens de cor branca, perderam suas linhagens familiares em tráficos de escravos pelo mundo ou mortos espancados em troncos nos pátios das senzalas. Após 13 de maio de 1888, data da abolição da escravidão no nosso país, eles enfrentaram, ainda, o grande problema de serem postos em liberdade sem o mínimo de planejamento, sem emprego, assistência social ou qualquer coisa que garantisse a sua sobrevivência. O resultado disso é marginalização e o preconceito.

      Excluir
  5. Parece um jogo perigoso que não vai acabar nunca,Por mais que tentemos....Adorei tu no meu cantinho obrigada! bjsssssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza! Pela ótica libertária, direitos, obrigações, ações e responsabilidades são atribuídas a cada pessoa individualmente — não a grupos de pessoas. Ninguém, em hipótese alguma, é chamado para reparar um mal causado por outra pessoa, mesmo que ambos compartilhem a mesma cor da pele, sejam da mesma família, sejam amigos, ou torçam para o mesmo time. Jamais. Olhando por esse prisma, não haveria dívida histórica moral dos brancos de hoje para os negros de hoje, exatamente porque esses brancos não são obrigados a pagar por injustiças cometidas por outros brancos; e mesmo que fossem, não seria para os negros de hoje, que também são outros que não aqueles que foram vítimas da escravidão.

      Ativistas do movimento negro, quando confrontados com essa argumentação, trocam o discurso moral pelo material. Segundo eles, o trabalho escravo negro beneficiou materialmente os brancos, e essa riqueza permitiu que os descendentes dos senhores de escravos estejam injustamente em melhor situação financeira do que os descendentes dos escravos. Aqui, haveria novamente uma dívida histórica a saldar. Percebe que estamos a saldar dívidas desde quando Eva deu mordida na maçã?

      Excluir
  6. Luma, belíssimo e profundo texto. Merece toda a divulgação. Beijo

    ResponderExcluir
  7. Bom dia, Luma!

    Este feriado como tantos outros acabam perdendo a sua finalidade por serem criados apenas pela "folga". Agora com a reforma trabalhista, muitas coisas virão...
    Infelizmente, até comentava com o marido ontem "onde está o dia da consciência indígena?" Tudo bem... tem o dia do Índio, que aprendemos na escola desde cedo, mas... também tem o dia da abolição da escravatura (que não são feriados...). A questão é que a "igualdade" humana é tendenciosa. Hoje em dia se fala muito em igualdade nas escolas, mas o que "é diferente", odeia o que é "igual" e assim vai... E infelizmente, tb, tudo é falado em nome do "amor".
    Amor pra mim é algo bem mais profundo - é amar a essência, sem olhar tendências, cor de pele, gostos, partidos políticos... é aquele respeito pela vida...
    Hoje em dia, as pessoas parecem panela de pressão - prontas a explodir por qquer coisa, procurando "falhas" para acusar, agredir...
    No fim das contas, partiremos daqui da mesma forma como chegamos: "nus e sem nada!".

    Obrigada pelo carinho com os Anjos. Aos poucos, vão saindo algumas pecinhas de Natal por aqui.

    Abraços esmagadores e feliz semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Dia da consciência indígena é comemorado no dia 20 de janeiro, mas eles são a minoria da minoria e não possuem força política. Como tudo no Brasil gira em torno da política, usam do negro como ingrediente oportunista, já que em nosso Brasil, foi constatado no senso de 2010 que quase 50% dos habitantes do Brasil é miscigenado. Aí está o amor, a prova de que o brasileiro se deixa misturar e que esse racismo tem se diluído nas relações de amor, gerando frutos para um Brasil mais forte e consciente.

      Excluir
  8. Oi Luma, bt!
    Eu não fui ao evento, mas adoraria ter visto!
    Eu só acho que em cada data marcada assim acaba alimentando cada vez mais a discriminação, seja ela racial, religiosa ou em termos de escolha sexual. Acho que assim sendo, teríamos que ter o "Dia do Feio", o "Dia do Gordo" e por aí vai. Em 365 dias do ano com certeza metade seria com feriados. Existe discriminação?
    Sim, claro que existe, mas acho que cabe a nós (todas as raças, religiões e as outras escolhas sexuais) orientarmos nossas crianças (filhos, netos, alunos etc) que somos TODOS IGUAIS.
    Bjssss amiga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez se o branco fosse minoria teria um dia para comemorar a consciência branca? Não porque mesmo em minoria, como acontece na África, eles possuem mais dinheiro. Parece que o dinheiro comanda, por isso citei o preconceito à pobreza. Continuamos a ser uma sociedade de privilégios e de relações. Quem tem grandes amigos, pode mais. Quem tem dinheiro, muito mais. O topo da pirâmide brasileira é ocupado pelo homem branco, rico e doutor sem doutorado. O futuro sempre esteve nas mãos das próximas gerações. O que me entristece é constatar que nossos avós também nos deram o título de futura geração. Existe um legado que não devemos deixar para os nossos netos.

      Excluir
  9. Não entendo alguém ser diferente de mim por causa da cor. Somos todos humanos. Quem tem raça é cachorro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Janaína! Mas pense num mundo diverso e que as pessoas não pensam iguais. Geralmente nos agrupamos com quem tem pensamento parecido ou igual ao nosso. Daí pensar que ainda existe o ranço patriarcal dentro de muitos humanos e que em horas de pitbull chegam à superfície expondo seu lado negro.

      Excluir
  10. Luma, tudo bem?
    É maravilhoso que tenha retornado e esteja participando ativamente na blogosfera, pois seus artigos são essenciais para todos nós!!

    Sim, o dia da Consciência Negra nos faz refletir demais...
    Os últimos episódios narrados pela atriz Tais Araújo, que se disse discriminada pelo fato de as pessoas mudarem de calçada quando veem sua família, talvez tenha sido exagerado, mas mostrou o conteúdo e a gravidade da situação aqui no Brasil.
    Temos tanto para avançar neste assunto!!
    A Constituição Federal já diz que somos todos iguais e nenhuma justificativa
    existe para haver diferenciações ou distinções!!

    Agradeço o carinho da visita lá no vídeo da canção Don'tÇry do Guns N' Roses no You Tube! Obrigada, de coração!!

    Desejo uma semana especialmente bela!
    Super Beijo!!!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Taís Araujo foi prejudicada pelos que querem causar na web. Tiraram uma frase que ela disse dentro de um contexto. Ela "imaginou" um fato: o filho saindo do futebol, sem camisa, suado, despenteado... quem viesse do outro lado da calçada, pensaria que ele seria um marginal apenas por ser negro. Indico assistir o vídeo Como criar crianças doces num país ácido | Taís Araújo | TEDxSaoPaulo
      A constituição federal diz muita coisa que não se cumpre e por isso mesmo que no Brasil é difícil falar em igualdade.
      Eu amei seu ytb! Que trabalho lindo está fazendo!!

      Excluir
  11. Oi Luma; que prazer estar neste espaço novamente.
    Então... estou fazendo um curso de Teologia da Umbanda
    no intuíto de realmente conhecer algumas questões de cunho
    sociológico, antropológico e ai por diante.
    Tem um video que permeia no face do Jornalista Carlos Medeiros que se chama "Raça e Racismo no Brasil" e o outro "Racismo Estrutural" de Silvio Almeida. Acho que todas as pessoas do Brasil tinham que ouvir e compreender como as coisas se dão.
    Esse livro: "Iniciação a Umbanda" de Diamantino Fernandes e Ronaldo A. Linares nos mostra a questão dá pratica do culto e dos porquês que permeiam no imaginário da população brasileira e muita gente não entende vale a pena conferir. Parece um livro de cunho religioso mas não é. É um livro elucidativo.

    Entendo que a compreensão se dá na base do estudo, então deixo aí minha contribuição se alguém se interessar.
    Abraços e boa continuação de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente!! Adorei a contribuição! Espero que as pessoas leiam o seu comentário e sigam as recomendações. Já deixei anotado os videos e livro. Vou procurar por eles! Obrigada!!

      Excluir
  12. Parabéns pela postagem.Uma bela homenagem e uma grande lição.Abraços temha um belo dia.

    ResponderExcluir
  13. Um texto muito bom, Luma!
    Vivendo e aprendendo a discernir e a crescer com qualidade...
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grata, Anete! Atrasei-me para postar, mas é um assunto que teremos a vida toda para discutir porque mesmo que se negue, faz parte do nosso dia a dia.

      Excluir
  14. Boa tarde, querida Luma
    Que bonita homenagem fizestes.
    Aprendi mais um pouco aqui hoje.
    Obrigada por participar da brincadeira lá nos Bichinhos.
    Seja sempre muito bem vinda!
    Quando tiver um tempinho venha conhecer nosso novo blog para os pequenos.
    https://interagindocomosbichinhos.blogspot.com.br
    Beijinhos e o meu carinho
    Verena e Bichinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wow!! Mais um lindo blogue, tenho certeza!! Obrigada por compartilhar!!

      Excluir
  15. Como sempre um texto que nos dá que pensar.
    Preconceito existe até mesmo em muitos que alardeiam não tê-lo.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Elvira! Do jeito que o mundo anda a criticar à todos, se digo que não sou racista, virão alguns dizer que sou preconceituosa com quem o é! (rs*)

      Excluir
  16. Acredito que no caso do Brasil precisamos mesmo ficar no abismo social. Está no "nosso DNA" a questão da necessidade de ser melhor que o outro, e pra isso criamos um mecanismo ainda mais agressivo: a ideia de que somos um povo tolerante. Morre mais gente aqui por violência do que em muitos dos grandes coisas feitos geopolíticos... Não consigo nem entrar no mérito das datas em que passamos. Vejo mais problema na cultura procrastinadora, que tem seu melhor desenho no calendário político, mas é reflexo do pensamento médio como um todo.

    Bejojo!

    ResponderExcluir
  17. Olá Luma, adorei sua manifestação, temos que dar cabo desse preconceito... Uma texto que nos remete à reflexão!
    Deixo uma interação!

    20de Novembro- Dia da ConsCiênCia NegrA

    Sou negro,
    Tenho alma,
    Tenho massa cinzenta,
    Tenho sangue rutilante.
    Tenho um coração que bate no peito
    gritando por igualdade.

    Meu arcabouço
    Não difere dos demais.

    Não é a cor da minha pele
    nem a fibra do meu cabelo,
    que ditam a minha dignidade.

    Sou negro!
    Sou autêntico!
    Sou gente e sou capaz
    Serei asim tão DESIGUAL?

    dinapoetisadapaz

    ResponderExcluir

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor